Posted on fev 16, 2017 in Blog | 0 comments

Dentro do meu processo de formação como psicoterapeuta, quando muito jovem, conheci o Dr. Federico Navarro e compreendi muito bem a diferença entre as chamadas terapias ou psicoterapias corporais ou “reichianas” e a Vegetoterapia Caracteroanalítica (criada pelo Dr. Wilhelm Reich).

O professor Navarro foi, durante anos, um neuropsiquiatra e psicanalista ativo, até que conheceu o discípulo e colaborador de Wilhelm Reich, o psicólogo norueguês Ola Raknes, com quem decidiu formar-se.

Federico Navarro, con Ola Raknes, 1969

Esta transmissão direta não era habitual nos anos 70 na Europa. Havia um grande desconhecimento (na Europa e também no mundo) do que Reich havia realmente aportado à psicanálise e à psicoterapia em geral. Sua contribuições confundiam-se com a bioenergética e outras terapias corporais, cujos criadores haviam se inspirado em Reich, seguindo formas próprias de terapia, confundindo a muitos profissionais. Nos dias atuais, esta confusão permanece.

Eu tive a sorte de me formar com Federico Navarro e sua equipe e, como representante da Espanha, integrar parte do seu projeto de Scuola Europea (S.E.Or.), que incluiria, mais adiante, alguns países da América Latina (I.F.O.C.).

O processo de formação seguia e segue a referência psicanalítica (processo de análise pessoal, supervisões, seminários de casos, cursos especializados). Isso supõe um grande compromisso, muitas horas e também uma forte identidade com a forma de entender a saúde e a enfermidade com uma perspectiva biopsicossocial e muito comprometida com a realidade político-social, enquanto principal causa das predisposições patológicas ao refletir sua patologia nos sistemas familiares e educativos. Por isso, para nós, a intervenção preventiva passa por facilitar atmosferas ecológicas, enquanto pilares do processo maturativo da pessoa.

Xavier e Federico Navarro no Rio de Janeiro. Anos 90

Quando Federico Navarro morou no Rio de Janeiro, na década de 80, no Brasil havia alguns professores formados em bioenergética e muitos autodidatas. Seu discurso vanguardista começou a ter uma importante repercussão nos meios médicos e psicológicos, mas também muito difamado.

A partir da  S.E.Or., foi-se criando uma equipe de docentes para poder colaborar com Navarro na formação de Vegetoterapia pós-reichiana, incluindo suas contribuições e as de outros colegas de sua escola. Entre os colaboradores, me incluo, realizando viagens soltas para mostrar  algumas ferramentas desenvolvidas pela equipe espanhola sob minha direção: a sistemática de grupo dentro da Vegetoterapia individual, a Psicoterapia Breve Caracteroanalítica, os projetos preventivos psicossociais, entre outros.

Xavier Serrano em São Paulo. Novembro de 2004

Na metade dos anos 90, as minhas idas ao Brasil passaram a acontecer de maneira mais sistemática, ministrando cursos como professor e participando de formações no Rio de Janeiro, São Paulo, Florianópolis, Natal e Brasília.

Lembro com muito carinho o primeiro grupo que concluiu algumas destas especialidades. Foi um grupo que se organizou de maneira nômade. Cada encontro era organizado pela pessoa residente naquele lugar e, como haviam participantes de diversos lugares do Brasil, em cada encontro o grupo se deslocava para a cidade do momento e lá permanecia durante a semana que durasse os encontros intensivos. Foi uma experiência apaixonante pela faceta cultural, autogerenciada, criativa e vanguardista.

1ª Formação de Ecologia de Sistemas Humanos em Natal. 2014

A Es.Te.R. Brasil é o resultado de alguns destes processos formativos realizados no Brasil e em Valencia (Espanha), durante vários anos, pela brasileira Alessandra Coelho. Com a colaboração com a seção espanhola da S.E.Or. (Escuela Española de Terapia Reichiana – Es.Te.R.), a Ester Brasília  tem, hoje, a possibilidade de organizar uma equipe docente própria, reflexo da prática clínica e preventiva cotidiana. Tudo isso se manifesta nesta página web.
Adelante!!

Xavier Serrano – Diretor da Es.Te.R.